Não é apenas um Email: 3 reflexões sobre Email Marketing - Rodolfo Cardoso

Não é apenas um Email: 3 reflexões sobre Email Marketing

Email Marketing

⏱ Tempo Leitura: 5MIN

Nos últimos meses, fruto do confinamento a que fomos sujeitos, o eCommerce em Portugal ganhou um outro destaque. Muitas empresas despertaram para a importância de uma presença online estruturada e com a capacidade de dar resposta aos seus clientes – leia-se venda online.

Esta mudança de paradigma trouxe novos desafios para muitas empresas, entre eles, como comunicar efectivamente e eficazmente com os seus clientes. São muitas as soluções em termos de comunicação digital disponíveis, no entanto, há uma ferramenta que acaba por ser subvalorizada… O email.

Uma coisa que sabemos, em regra geral, é que para um cliente se registar num website ele irá utilizar um email. Nesse email, ele irá receber todas as notificações desse mesmo registo. Nele irá ainda receber informação das suas compras. Mas, infelizmente, nem sempre é por email que as empresas decidem comunicar com o cliente. Neste artigo partilho 3 ideias chave sob as quais se deve focar para melhorar a sua comunicação via email.

1. Crie uma comunidade

A forma como irá criar a sua base de dados é importante, mas tão ou mais importante, é saber como irá manter a mesma interessada nas mensagens que lhe irá enviar. Não é um desafio fácil, mas fazer da sua newsletter algo valioso para o cliente deverá ser o seu principal objectivo.

O primeiro passo será manter a consistência. São cada vez mais as newsletters com uma periodicidade diária, se tiver conteúdos para tal óptimo, caso contrário, sugiro enviar com uma base semanal. Escolha um dia, uma hora e mantenha a consistência.

A partir do momento que reconheçam o padrão e valorizem os seus conteúdos, irão estar atentos para a sua mensagem. Acredite, mais do que qualquer truque ou dica é mesmo isto que fará toda a diferença em todas as métricas.

Por fim, lembre-se que a newsletter é uma plataforma de comunicação 1:1, por isso mesmo, permita que os utilizadores comuniquem consigo. Use um email personalizado e não use emails como noreply@aminhaempresa.pt, a mensagem que transmite com este é a de que não pretende receber mensagens. É precisamente o contrário o seu objectivo.

No final do artigo, partilho ainda uma dica extra 😀

2. Esqueça as boas práticas e case studies

“Use X palavras no assunto de email se quiser ter mais aberturas” ou “Utilize emojis no assunto de email que aumenta em X% a taxa de abertura”. Estudos e mais estudos, irá encontrar muitos online, todos lhe vão dar ideias diferentes.

Não quero com isto dizer que estão errados, longe disso. Muitos são reflexo de análises a várias newsletters, a grandes bases de dados, a várias práticas e têm todo o mérito. Mas nenhum se debruçou sobre o seu caso em particular, sob a sua comunidade. Logo, a sua validade é um pouco dúbia. Não olhe para estas recomendações como regras, questione-se.

Uma das vantagens do digital é mesmo esta, a possibilidade de testarmos, arriscarmos e corrigirmos. Agora, se quer um ou dois conselhos, aqui vão:

– Use textos curtos e directos nos assuntos de email, ninguém gosta de perder tempo. Para além disso, cada vez mais os emails são consultados em mobile, por isso é importante pensar nesse aspecto da experiência;

– Utilize emojis, permitem destacar a sua newsletter numa inbox repleta de emails, mas tenha cuidado e contenção na sua utilização.

Mas lembre-se: analise resultados, compare e volte a testar.

3. Inbox é espaço pessoal

A minha terceira ideia ou recomendação passa por lhe lembrar o que conseguiu alcançar. Se conseguiu que o cliente tenha subscrito a sua newsletter, já conseguiu o mais difícil. Agora torne-se relevante, não use a newsletter apenas para lhe enviar promoções ou descontos, procure criar conteúdos com valor para os mesmos e onde a sua empresa seja também destaque.

Outros dois aspectos que deve procurar concretizar são a segmentação e personalização. Segmentar a sua base de dados, quando a sua empresa tem produtos/serviços distintos, pode ajudar a tornar a sua mensagem mais relevante. Imagine o seguinte cenário, subscreveu uma newsletter de uma loja de produtos para animais e tem um cão. Porque motivo a loja lhe envia informação sobre promoções para gatos?

No caso da personalização, vamos um pouco mais além e procuramos personalizar os conteúdos com base do seu comportamento. Sabemos que comprou a ração para cão da marca X, no momento em que tivermos uma promoção ou desconto sob a mesma, podemos enviar-lhe essa informação. Será uma mensagem muito relevante para si.

Dica extra

Use um email personalizado e de preferência reconhecível para os subscritores, associe-lhe um nome. Por exemplo, na WebHS usamos o meu email quando enviamos a newsletter e curiosamente em alguns eventos já tive a oportunidade de conhecer subscritores da mesma que me disseram “então o Rodolfo é você… Leio todos os seus emails.”

Artigo publicado originalmente em no Blog do Cowork Torres Vedras.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *