A Proposta e o Propósito - Rodolfo Cardoso

A Proposta e o Propósito

Propósito de Vida e Proposta de Valor

⏱ Tempo Leitura: 6 MIN

Proposta de Valor e Propósito de Vida são conceitos relativamente diferentes, mas com alguns pontos em comum.

A proposta de valor é aquilo que distingue o teu negócio da concorrência. Uma proposta de valor bem elaborada, permite ajudar o cliente a entender o porquê do mesmo, traz clareza e mostra como o teu negócio é a resposta para os seus problemas.

O propósito de vida pode ser visto como uma bússola que nos guia ao longo da vida. É importante para manter-nos focados e centrados no que é realmente importante na nossa vida. No entanto, nem sempre é fácil descobrir o nosso propósito. Podemos até levar a vida toda a descobri-lo.

E porque é importante fazer a reflexão sobre estes dois conceitos? Porque quando trabalhas de forma independente, ou não, o teu propósito de vida pode muito bem ser, ou estar, alinhado com aquilo que é a tua proposta de valor.

Como os podes descobrir ou construir?

Para o propósito de vida eu acho importante que comeces por fazer uma reflexão sobre a tua vida. Quer seja no aspecto pessoal como profissional. Boa parte do nosso tempo é dedicado ao lado profissional, por isso é importante ter em consideração essa parte.

Pensa naquilo que fazes, no que te dá realmente prazer, nas tarefas que realizas e não vês o tempo a passar. Lembra-te das conversas com amigos, do que gostas de falar, do que te faz brilhar os olhos. Fala com amigos e pergunta-lhes “no que eu sou bom?”, eles mais facilmente vão reconhecer os teus talentos.

Agora reflecte sobre o que tu gostarias de fazer na tua vida. Projecta a tua vida para daqui a 25 anos. O que te vês a fazer?

Estes exercícios de reflexão vão te ajudar a encontrar esse propósito de vida. Ou pelo menos, assim acredito, ficarás mais próximo de o encontrar. E relembro, não há mal nenhum em não conseguir identificar o mesmo ou achar que não o temos. Com o tempo poderás encontrá-lo, não vale a pena insistir na sua procura.

Agora, como podes construir a tua proposta de valor? Começa por escrever tudo o que tu fazes, como fazes e porque o fazes. Como li no artigo “Get specific!” de Derek Sivers, procura ser o mais específico possível. Haverão coisas que não saberás responder, procura. Procura referências na tua área ou na área que gostarias de trabalhar, usa-os como modelos.

O que tens para vender?

Uma das maiores dificuldades, quer seja de um trabalhador independente ou de uma empresa, é dizer de uma forma simples e directa o que vendem e porquê. Kevin Rogers, antigo humorista de standup, encontrou nas suas piadas a fórmula que permite simplificar todo este processo.

Como tiveste oportunidade de ver a “The 60-Second Sales Hook” resume-se a criar uma mensagem que contenham os elementos: Identidade (quem sou eu), Dificuldade (o meu problema ou o problema que resolves ao cliente), Descoberta (o que aprendeste, a solução que tens para o problema) e o Resultado (o que o cliente pode esperar depois de trabalhar contigo / usar o teu produto). Acredito que esta fórmula te irá ajudar a estruturar melhor a tua proposta de valor.

Estás a começar?

Estás agora a começar o teu projecto ou “carreira a solo”, e é te mais difícil estruturar essa proposta de valor. Pois bem, lanço-te o desafio de responderes a estas 20 perguntas que retirei do livro “Start Strong“, de Farez Rahman, que apesar de criadas para ajudar empreendedores no lançamento de SaaS (Software as a Service), podem ajudar-te a organizar as ideias:

  1. Qual é o teu mercado-alvo?
  2. Que problema em específico estás a resolver?
  3. Qual é o tamanho do mercado?
  4. Qual é o teu modelo de negócios?
  5. Que solução estás a construir?
  6. Estás a resolver o teu próprio problema?
  7. O problema é grave?
  8. O problema ocorre com frequência?
  9. Resolver o problema é obrigatório?
  10. É um mercado comprovado, que tem outras soluções?
  11. Conheces profundamente o mercado?
  12. Esse mercado, e o seu problema, estão a crescer?
  13. Esse mercado tem poder de compra?
  14. O problema é caro para ser resolvido directamente pelo cliente?
  15. O mercado é composto maioritariamente por pequenas empresas?
  16. Tens uma vantagem competitiva face aos teus concorrentes?
  17. Pode ser lançada (a solução / produto) rapidamente?
  18. O problema é árduo, mas não impossível de resolver?
  19. O teu mercado-alvo é fácil de identificar online?
  20. A tua solução é mais simples do que a dos concorrentes?

Para além disso, esta thread no Twitter do Kyle Prinsloo pode ser ainda uma óptima checklist do que deves de ter em consideração:

Não te arrependas

Para terminar, lembrar-te de algo importante: procura o equilíbrio. A tua vida é composta por vários elementos, o trabalho é apenas uma das partes. Tem presente que no final nada podes mudar, mas pelo caminho podes sempre ir fazendo ajustes. Bronnie Ware, uma cuidadora australiana, escreveu no seu livro algumas das suas experiências nos cuidados paliativos, entre elas partilhou os principais desabafos de quem está no final da sua vida:

  • Eu gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, não a vida que os outros esperavam de mim;
  • Eu gostaria de não ter trabalhado tanto;
  • Eu gostaria de ter tido a coragem de expressar os meus sentimentos;
  • Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos;
  • Eu gostaria de me ter permitido ser mais feliz.

Em resumo

Ao longo deste artigo foquei-me bastante na construção da tua proposta de valor e pouco no propósito de vida, o motivo é simples. O primeiro irá com certeza influenciar o segundo. Se entenderes o que queres fazer de forma profissional, será mais fácil orientares a tua vida nos outros aspectos.

Hoje muitas pessoas preferem ter uma carreira enquanto freelancers pois permite-lhes uma maior liberdade, para ir atrás dos seus sonhos ou para cuidar da sua família. E esse pode muito bem ser o seu propósito de vida.

No fundo, espero que este artigo te ajude a reflectir um pouco sobre a tua vida e as tuas prioridades. E que se for o caso, contribua para um melhor e maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *